O Xingu pluricultural na obra de Ropkranse Kayabi

13/12/2018
  • Banco tradicional Kayabi. Autoria: Ropkranse Kayabi
  • Banco de Tamanduá que Ropkranse Kayabi aprendeu a fazer com a etnia Mehinaku
  • Anta em estilo próprio do artista, inspirado nos bancos Mehinaku
1/3

  • Banco tradicional Kayabi. Autoria: Ropkranse Kayabi
  • Banco de Tamanduá que Ropkranse Kayabi aprendeu a fazer com a etnia Mehinaku
  • Anta em estilo próprio do artista, inspirado nos bancos Mehinaku

A produção de bancos artista Ropkranse Kayabi, nascido em 1970, reflete o pluriculturalismo do territorio indigena do Xingu.

Filho de mãe kisêdjê e pai kayabi, ele cresceu em contato com a produção dos variados artesanatos da etnia materna, que abrangem objetos rituais e do cotidiano como máscaras, remos e bordunas. Mais tarde, aprendeu a fazer bancos com os parentes de sua esposa, que é da etnia mehinaku, e até hoje parte de sua produção tem estética semelhante à dos bancos feitos por este povo. A partir daí desenvolveu sua técnica por conta própria, fazendo inclusive bancos tradicionais kayabi, que possuem forma retangular característica.

Veja aqui a diversidade de sua criação

Veja também:

Bancos Indígenas do Xingu participarão da SP-Arte 2019

12/03/2019

A SP-Arte (Festival Internacional de Arte de São Paulo), maior feira de arte da Amér...

Leia mais

A criação dos grafismos Waujá a partir do contato com os espíritos

05/03/2019

“O que chamamos de grafismo Waujá é um universo de expressões visuais sem fronteiras...

Leia mais

Naine Terena fala sobre arte indígena nos dias atuais

26/02/2019

Naine Terena atua nas áreas de cultura, comunicação e educação, promovendo as artes ...

Leia mais

Tags

  • Xingu
  • Bancos indígenas
  • Kayabi
  • Kisedjê
  • Mehinaku
  • pluricultural
  • multicultural

2019 BEĨ .:. Todos direitos reservados.





Create - Soluções Online